segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Que Comi em Santiago - Parte 4

A culinária peruana está na moda no mundo todo. No Chile, então, nem se fala. O melhor restaurante da cidade, o Astrid Y Gastón, é um peruano. Escolhemos um outro, o Tambo, também peruano, com tudo muito saboroso e bem mais barato.


Pedimos dois ceviches diferentes, este da foto é o misto, com peixe e frutos do mar. O outro era só de peixe, cortado em tirinhas como sashimi, mas devoramos tão rápido que não tirei foto. Duas coisas me chamaram a atenção no prato: este milho branco com grãos enormes e o pedaço de abóbora que foi, com o perdão do trocadilho, a cereja do bolo. O sabor docinho da abóbora com o picante do molho ficou demais!


Pedimos também uma salada ceasar, que lá se chama césar (adorei!). Havia alguns dias que não comíamos verdura e o corpo já estava pedindo... Pra falar a verdade, acho que foi a melhor ceasar que já comi na vida. O molho estava maravilhoso e o frango grelhado por cima ficou bem melhor do que ele desfiado. Realmente perfeita!

Foi um jantar de dia dos namorados adiantado, porém extremamente gostoso. A cerveja estava gelada, o ambiente da casa é bastante aconchegante, com velas, aquecedores e tudo o mais. A comida, então, nem se fala. Super recomendo o lugar para quem vai a Santiago.


No caminho para o restaurante, passamos por um café que chamou a atenção pela "especialidade". A placa na porta anunciava um smoothie de cannabis, ou melhor, uma vitamina de maconha. Diz a propaganda que é livre de THC, a substância entorpecente da planta. Nem Marido nem eu provamos, custava 13 reais, era muito só pra experimentar. Mas o café oferecia outros produtos com a mesma matéria-prima. Fica em Lastarria para quem estiver por lá e quiser dar uma passada.

2 comentários:

  1. Nw é abóbora, é batata doçe...

    ResponderExcluir
  2. Batata doce? Acho q não, tinha gosto e textura de abóbora...

    ResponderExcluir