segunda-feira, 30 de julho de 2012

Comida + Arte

Ainda no quesito fazendo arte com comida, achei este site que traz as imagens de uma competição australiana em que são usados elementos típicos do país para constituir a própria bandeira.

Bandeira do Brasil - limão, abacaxi e jabuticaba

Bandeira do Japão - sushi de atum

Bandeira dos Estados Unidos da América - hot dogs e cookies

Bandeira da Itália - manjericão, macarrão e tomate

Foram criadas muitas, a melhor delas, para mim, é a da Itália. Super típica mesmo. E ainda dá água na boca só de olhar...

domingo, 29 de julho de 2012

Cozido de Carne e Abóbora

Marido comprou uma abóbora linda para que eu fizesse sopa. But, eu estava a fim de comer algo mais, digamos, substancioso, pra mastigar mesmo. Então fiz esse cozido, cheeeeiiio dos pedaços!


1/2 kg de alcatra em cubos
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola pequena cortada em quatro e aberta em pétalas
1 dente de alho picado
1 colher (chá) de páprica doce
1/2 colher (chá) de cominho em pó
1 colher (sopa) de farinha de trigo
2 tomates sem pele e sem sementes picados
1/3 xícara (chá) de vinho branco
2/3 xícara (chá) de água fervente
1/2 pimentão vermelho picado
150g de abóbora picada em cubos

Em uma panela, coloque metade do azeite e frite a carne apenas para selar. Tempere com sal e pimenta e mexa até dourar. Reserve. Na mesma panela, coloque o restante do azeite e frite a cebola e o alho. Devolva a carne à panela e junte a páprica, o cominho, a farinha e misture bem. Adicione o tomate, o vinho e a água. Mexa bem para engrossar. Acrescente a abóbora e o pimentão e deixe cozinhar até que a abóbora fique macia, mas não desmanchando.

Servimos como uma sopa, acompanhado de fatias de pão para passar no caldinho. É coisa de pobre, é cafona, eu sei, mas eu gosto!

sábado, 28 de julho de 2012

Geração de Ideias


Hoje vou sair um pouco do tema do blog, não vamos falar sobre comida. Mas vamos falar sobre compartilhar, que é um dos objetivos dos blogs. E o que compartilhamos, em geral? Ideias, opiniões, sentimentos etc.

Este é o foco do blog Geração de Ideias: compartilhar informação e conhecimento e ser um espaço de criação. O blog fala sobre urbanismo, planejamento urbano, sustentabilidade e outros temas importantes para as cidades e para as pessoas que nelas vivem.

Então, se você acredita que as iniciativas podem ajudar outras pessoas, divida-as. Faça com que as suas ideias encontrem as de outras pessoas e saiam do papel para o mundo.

Especialmente, se você é carioca, não deixe de conferir e deixar a sua opinião: http://www.geracao-de-ideias.blogspot.com.br/

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Pão de Milho Fleischmann

Não sei nem como, mas faço parte de um grupo na internet que partilha receitas para a máquina de pão. Há algum tempo estão rolando mensagens sobre a mistura pronta para pão da Fleischmann, que pode ser preparada "à mão" ou na máquina. Como queria experimentar o pão australiano, venho procurando nos supermercados, mas nada de achar. No único que tinha a tal mistura, era só nas variedades pão caseiro e pão de milho.


Taí o moço pronto. Fica bem gostoso, macio e é cheio de erva-doce (pra quem gosta, eu não curto). Rende um pão médio, tipo um de 600g. Na embalagem - essa aí debaixo - vem as instruções para fazer na máquina ou não. Na máquina de pão é muito fácil: coloca a água na forma, a mistura por cima e acrescenta fermento biológico seco. Programa no ciclo básico e espera. Tranquilinho.


Acho uma ótima para aqueles dias quentes em que você quer comer um pão quentinho de manhã. Eu adoro programar a máquina para o pão ficar pronto pouco antes da minha hora de acordar, mas quando está calor fico preocupada com o ovo e o leite, sempre acho que podem estragar. Com essa mistura, acaba-se o problema. Custou menos de 4 reais e acho que valeu.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Integração

Uma das minhas maiores frustrações é que minhas fotos de comida nunca ficam boas. Imagina então quanta inveja eu senti ao ver isso:





O site do fotógrafo mostra muitas outras criações dele. Se quiser ver, clica aqui.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Brownie com Nozes

Dias com desejo de comer brownie com sorvete e o Marido me desanimando, dizendo que chocolate e creme não combinam (oi???). Eu tentei resistir, mas uma hora a vontade falou mais alto e fui pra cozinha.


Derreti uma barra de chocolate 55% cacau no microondas com 50g de manteiga. Numa tigela, coloquei 1/2 xícara (chá) de açúcar mascavo, 5 colheres (sopa) de açúcar, 2 ovos e 1 colher (chá) de essência de baunilha e bati até ficar bem homogêneo. Juntei o creme de chocolate e bati mais um pouco. Acrescentei 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo, 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio e 1/2 xícara (chá) de nozes picadas. Mexi bem e despejei em um tabuleiro untado e enfarinhado. Levei ao forno por uns 30 minutos e desliguei quando ainda estava molinho no centro.

Ficou bem gostoso, com a casquinha crocante e o interior macio. Deveria ter usado uma forma menor, um pirex talvez, porque acabou ficando fino e eu gosto do brownie mais altinho. De qualquer forma, é uma receita com menos manteiga do que se vê por aí, logo um pouco menos calórica. Esse vai ser o meu brownie daqui pra frente!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Para Ajudar Seu Filho a Comer de Tudo


Acabei de ler um artigo bem legal sobre como ajudar as crianças a comer de tudo. Segundo o pesquisador, colocar nomes divertidos nos alimentos estimula a criança a se interessar por ele. Já sabemos que a apresentação dos pratos é fundamental para abrir o apetite do pequeno, agora sabemos também que a audição participa do processo. Coloquei o arquivo na íntegra abaixo:


"Biotônico Fontoura é coisa do passado. Novos estudos mostram que os pais conseguem convencer seus filhos a comer vegetais simplesmente sendo criativos com os nomes dos alimentos. Chamar o temido brócolis de “couve-de-dinossauro” ou as ervilhas de “bolinhas da força” estimula a criança a comer.
O estudo descobriu que, quando os jovens comem cenoura, e o vegetal é rebatizado de 'fórmula de visão de raio-X', eles consomem uma quantidade duas vezes maior.
E, mesmo quando as cenouras não eram chamadas de nada especial, apenas de cenouras, as crianças continuaram a comer 50% a mais do que antes.
Para a pesquisa, foram recrutadas 185 crianças de 4 anos. Todos os dias, elas tinham cenoura como parte do almoço.
O autor da pesquisa, Brian Wansink, da Universidade de Cornell, declara: 'nomes legais tornam as comidas legais'.
Segundo suas descobertas, seja lá qual for o nome inventado para a comida, se é chamado de algo diferente, vai ser diferente de comer, e mais divertido.
Wansink disse que resultados semelhantes já foram vistos até mesmo em alguns adultos – a razão pelos nomes dos grandes humbúrgueres das redes mais famosas de fast food serem Whopper e Big Mac.
Um restaurante declarou que, quando um prato se chamava Filé de Peixe, as vendas não eram expressivas. Quando o mesmo prato passou a se chamar Filé de Peixe Suculento Italiano, as vendas cresceram em 28%.
'Mesma comida, porém expectativas diferentes', conclui Wansink."

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Salada de Couve-Flor, Tomate e Hortelã

Por incrível que pareça, depois de uma série de dias frios que davam a entender que o inverno tinha chegado pra ficar, eis que surge um "veranico" no Rio de Janeiro. Dias quentes, noites mornas, e o corpo pedindo uma saladinha. Em tempos de couve-flor, tão amada aqui em casa, ela foi a estrela do dia.


Bastou cozinhar em água e sal até ficar al dente, porém mais pro macio. Cortei os buquês em fatias, piquei dois tomates sem sementes e algumas folhas de hortelã que, depois de picadas, renderam 2 colheres (sopa). Misturei tudo, temperei com azeite e vinagre e estava pronta a salada mais gostosa dos últimos tempos.

Para mim, uma alternativa para a couve-flor, pois eu gosto mesmo de comê-la é à milanesa ou gratinada, com molho branco. Mas assim não dá! É preciso conter a boca! Então, que venham as sopinhas e saladinhas!

domingo, 22 de julho de 2012

Blog Na Medida

Chega a época de férias e vejo algumas mães desesperadas com o aumento de peso dos filhos neste período. Como, nos dias atuais, as crianças não podem mais brincar na rua, a escola é o espaço onde eles mexem mais o corpo e gastam mais calorias. Sendo assim, férias = engordar!


Achei esse blog, Na Medida, com várias receitas de baixas calorias. Não costumo indicar blogs desse tipo aqui porque as receitas são sempre meio "eca" ou como se juntar uma maçã e uma pera precisasse de modo de fazer. Este não, tem receitas bem legais, elaboradas e aparentemente saborosas e as fotos são super apetitosas. Na minha humilde opinião, vale a pena dar uma olhada.

sábado, 21 de julho de 2012

Farofa de Cebola Queimada

Na minha família, a rainha da farofa é a minha irmã. Em todo almoço ficamos pedindo para ela fazer. Não sei porquê, mas é muito boa. Talvez seja porque ela corta o bacon e a linguiça bem pequeninhos ou porque ela torra a farinha... O fato é que é boa. E que está prestes a ser desbancada por essa aqui!


Peguei a receita no Panelaterapia e, mesmo não curtindo muito cebola, testei. A Tati tem razão quando diz que todo mundo vai gostar.

Cortei uma cebola em fatias bem finas e depois em quatro, para que os pedaços não ficassem grandes (eu não ia conseguir mastigar pedações de cebola!). Levei ao fogo uma colher (sopa) generosa de manteiga e um pouco de óleo. Quando a manteiga derreteu, juntei a cebola e fiquei mexendo para que dourasse. Na verdade, esperei até que a cebola queimasse, porque este é o ponto certo da coisa. Juntei a farinha de olho, não medi, coloquei até que considerasse proporcional. Temperei com sal e pronto!

Vou me atrever a levar para o próximo churrasco na casa da minha mãe. Vamos ver se todos concordam comigo e que a minha farofa é quase tão boa quanto a da mana.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Happy Friend's Day

Hoje é dia do amigo! Pelo menos é o que dizem... Eu aproveito para comemorar com os meus, queridos e amados que são.

Dia desses estava justamente comentando com uma amiga como vamos selecionando os amigos ao longo do tempo e hoje não temos mais nem a metade dos que tínhamos aos 20 anos. Talvez porque aqueles não fossem realmente amigos ou porque talvez o tempo e a distância separem mesmo algumas pessoas.

Série antiga, mas pela qual sou apaixonada até hoje

Fato é que os que estão ao meu lado hoje não são mais só amigos, são companheiros de uma vida. Já riram, choraram, sofreram e comemoram comigo. Já me ajudaram nos momentos mais difíceis, me dando calma e serenidade - coisa que não tenho - sempre que precisei. Já me confortaram e me deram broncas. Já me ouviram e também já falaram muito no meu ouvido. E confesso que sou muito feliz e muito grata à vida por tê-los trazido até mim, por ter proporcionado o encontro, por ter permitido que eu convivesse com pessoas tão especiais... Ih, me emocionei!

Feliz dia do amigo pra vocês!

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Talharim com Salmão e Alho-Poró

Fui à feira comprar peixe, coisa que faço raramente. Entendo porque o brasileiro come pouco peixe: 1. só é gostoso comer fresco, portanto tem que ir na feira; 2. custa os olhos da cara! Eu queria ter trazido algum filé de peixe branco, mas ele estavam quase o mesmo preço do salmão. Assim, fica uma disputa desleal, porque eu adoro salmão.


Com metade do que comprei, fiz esta massa, cuja receita tirei daqui. Quem cortou o salmão em cubinhos foi o Marido, me livrando de ficar com cheiro de peixe nas mãos.

Vamos às instruções: corte 300g de salmão em cubos, tempere com limão e deixe descansar por 10 minutos. Enquanto isso, coloque uma panela com água no fogo e, quando ferver, cozinhe o talharim conforme o seu paladar. Faça o molho derretendo 1 colher (sopa) de manteiga em uma panela e refogando aí um talo de alho-poró cortado em rodelas. Junte o salmão e mexa. Eu não gosto do salmão se desfazendo, então essa etapa foi bem rápida pra mim, só coloquei o salmão, mexi e já comecei a adicionar os outros ingredientes. Se gostar do salmão bem cozido, deixe ele dourar um pouco. Tempere com sal e pimenta, adicione 1 colher (chá) de mostarda em grãos e misture. Em um copo, dissolva 1 colher (sopa) de farinha de trigo em 1 xícara (chá) de leite e adicione à panela. Mexa até que engrosse, desligue o fogo e junte uma caixinha de creme de leite. Sirva em seguida.

O prato fica com cara de pheno, então, se quiser, faça no jantar para a sua sogra ou para aquela amiga que adora esnobar. Ela vai morrer de inveja!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Cacau Espresso

Passando na Cacau Show, dia desses, Marido e eu nos deparamos com essa caixinha de chocolate. Segundo a caixa, são "bombons especiais que fazem uma combinação perfeita para deixar seu café ainda melhor". Como, depois que adquirimos a cafeteira, estamos neste momento gourmet, compramos.


Os bombons têm sabores: capuccino, espresso e moka. Todos são gostosos e vão realmente muito bem com um cafezinho, dando aquela doçura que o café - pelo menos o meu - não tem. Mas sozinhos também são incríveis, tem uma espécie de creminho dentro... Hummmm...

terça-feira, 17 de julho de 2012

Red Velvet Cake

O Red Velvet Cake (ou Bolo Aveludado Vermelho) é um bolo tipicamente americano e a primeira vez que comi um foi em forma de cupcake na Magnolia Bakery. A diferença é que lá a cobertura era de buttercream e aqui é de cream cheese.


Como todo bolo com recheio e cobertura, ele dá um pouco mais de trabalho. Tirei a receita do livro de bolos da União e reproduzo aqui:

Ingredientes:

2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 caixinha de creme de leite
2 colheres (chá) de corante alimentício vermelho
2 colheres (chá) de vinagre de vinho branco
3 colher (chá) de essência de baunilha
200g de manteiga em temperatura ambiente
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
2 ovos
3 potes de cream cheese
2 xícaras de açúcar de confeiteiro


Modo de Fazer:

Peneire a farinha com o chocolate, o fermento e o bicarbonato e reserve. Misture o creme de leite, o corante, o vinagre e 1 colher da baunilha e reserve. Na batedeira, bata metade da manteiga com o açúcar até obter um creme leve. Junte os ovos um a um batendo bem após cada adição. Acrescente a mistura de farinha e a líquida alternadamente, mexendo sempre com uma espátula. Despeje a massa em uma fôrma untada e asse em forno preaquecido até que, ao espetar um palito, ele saia limpo. Deixe amornar e desenforme em um prato. Enquanto isso, faça a cobertura batendo o cream cheese com a manteiga restante até virar um creme leve e fofo. Junte a baunilha, bata e adicione o açúcar de confeiteiro aos poucos, sempre batendo, até ficar homogêneo. Cubra o bolo com esse creme e sirva.


Perceba que depois de assado ele não fica totalmente vermelho, é só um tom. Mas o sabor da massa harmoniza perfeitamente com a cobertura, que não fica salgada nem enjoativa. Aqui, para completar a delícia, fizemos um mocha, uma mistura de café, chocolate e leite, na nossa cafeteira. Foi um lanche para ninguém botar defeito!

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O Melhor Barman do Brasil

Na última quinta, dia 12, houve a final do campeonato mundial de bartenders. O brasileiro Paulo Freitas participou e ensinou a fazer dois drinks para o site G1. Gostei muito do "drink especial", com uvas verdes e limão, mas gostei mais ainda da dica que ele deu para adoçar as bebidas.


Sabe quando você toma uma caipirinha ou outro drink e sente aquelas pedrinhas de açúcar? Então, dá pra fazer um xarope de açúcar, misturando água e açúcar em um recipiente, fechar, sacudir e deixar descansar um pouco para o açúcar derreter. Depois, é só adoçar a bebida com essa mistura. Legal, né?

domingo, 15 de julho de 2012

Sopa de Grão de Bico, Cenoura e Alho-Poró

Nesses dias em que estive dodói e precisei ficar em casa, andei fuçando na internet e achei um site bem legal, o Jamie Oliver Brasil. Já ouvi gente dizendo que se tivesse que fazer um projeto do tipo Julie & Julia, escolheria o Jamie Oliver. Como este blog só fala sobre ele e suas receitas, talvez seja uma boa fonte.


A sopa na qual me inspirei levava grão de bico, alho-poró e batata. Como queria algo mais leve e nutritivo, substitui esta última pela cenoura. Ah, e usei grão de bico em conserva (da marca Quero, muito bom), porque não sei nem quero saber como é que cozinha aquilo!

Numa panela, coloquei 2 colheres (sopa) de azeite e refoguei um talo fino de alho-poró fatiado em rodelas. Juntei 1 cenoura cortada em quadradinhos e 1/2 litro de caldo de galinha. Deixei cozinhar. Quando a cenoura estava bem al dente, adicionei o grão de bico escorrido, acertei o tempero e deixei apurar coisa de cinco  minutos.

Enquanto isso, cortei duas fatias de pão de forma em três partes cada. Levei ao fogo uma frigideira com 1 colher (sopa) de manteiga e 1 de orégano seco e fritei o pão nela, dos dois lados. Servi a sopa junto com essas torradinhas.

A sopa ficou incrível, saciou bem a fome, mas não deixou pesado. Super adequada para estes dias frios do Rio de Janeiro. Porque aqui, minha gente, fez 18 graus tá todo mundo de sobretudo e cachecol!

sábado, 14 de julho de 2012

Tábua de Corte para Quem Tem TOC

Essa é pra quem sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo e quando vai cortar legumes todos têm que estar no mesmo tamanho, na mesma espessura. Ou seja, não é pra mim, que corto cada coisa de um jeito, uma grande, outra pequena, e aí uma cozinha e a outra ainda está crua...


Mas vou fazer uma confissão: se precisar trabalhar em algo braçal, procuraria um emprego em um restaurante como auxiliar de cozinha e ia pedir para ficar picando o dia todo. Adoro fazer isso! Passo um tempão cortando tomates, cebolas, cenouras... Já compramos um picador, mas eu gosto mesmo é de fazer na mão, eu, a tábua e a faca. É, cada doido tem sua mania!

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Suflê de Milho

Adoro suflês! Adoro milho! Adorei esta receita!


Escorra uma lata de milho e bata no liquidificador com 2 colheres (sopa) de água. Continue batendo e acrescente uma caixinha de creme de leite, 4 gemas - uma a uma - e tempere com sal e pimenta. Escorra outra lata de milho e adicione à mistura, mexendo sem bater. Bata as 4 claras em neve e acrescente ao creme, misturando delicadamente. Unte forminhas e coloque o creme, asse em forno médio até ele ficar fofo e dourado, cerca de 25 minutos.


Sirva rápido, antes que ele murche, com os acompanhamentos de sua escolha. No meu caso, foi um jantar leve, somente o suflê e uns filés de frango grelhados. Uma versão da combinação frango + salada.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Como Fazer Manteiga de Amendoim

Já começo dizendo que nunca fiz isso, tá? Sempre compro a manteiga já pronta, então realmente não sei se funciona. Mas é uma alternativa para quem quiser fazer a receita dos biscoitinhos que ensinei aqui. Não adianta comprar amendocrem, porque ele já vem com açúcar, não é igual. O mesmo serve para esses receitas que rolam por aí com açúcar. Não vai dar certo.


Achei esse vídeo ensinando a fazer, mas está em inglês... Vou tentar ajudar os que não entenderem: coloque em uma assadeira 2 xícaras de amendoim sem casca e regue com 2 colheres (sopa) de óleo de amendoim. Leve ao forno baixo - 180° - por 6 a 8 minutos, mexendo os amendoins a cada 2 minutos para que eles não queimem. Coloque os amendoins no processador e bata até a consistência desejada. Passe para um pote hermético e guarde por, no máximo, 30 dias.

No vídeo não há nada a esse respeito, mas já ouvi dizer que é bom esperar 24 horas entre o processamento dos amendoins e o uso, para apurar o sabor.

Espero que ajude!

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Biscoitinhos de Amendoim

Um dos meus passeios preferidos quando estou em outro país é ir ao supermercado. Sempre tem umas comidinhas diferentes, temperinhos, coisinhas que posso trazer para incrementar nossa cozinha. No Chile, achei manteiga de amendoim por um ótimo preço. Não é nada local, mas eu amo, então trouxe. Uma pra mim, outra pro meu irmão, que é mais um viciado.


Ele come pura, eu não. Uso pra fazer receitinhas gostosas, como esses biscoitos. A receita, tirei daqui.

150g de manteiga
1/2 xícara (chá) de manteiga de amendoim
1 xícara (chá) de açúcar
1 ovo
1 colher (chá) de essência de baunilha
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 coher (chá) de bicarbonato de sódio

Bata as manteigas com o açúcar até formar um creme fofo. Junte o ovo e a baunilha e bata bem. Adicione a farinha e o bicarbonato peneirados e misture com uma espátula. A receita original diz para deixar na geladeira por 1 hora antes de moldar as bolinhas. Eu não quis esperar e deu certo também. Moldei bolinhas com cuidado porque a massa é bem amanteigada, então fica molinha. Coloquei em assadeiras (não precisou untar) e levei ao forno já pré-aquecido por uns 10 minutos cada fornada. Entre uma e outra, passei papel toalha na assadeira para limpar e colocar outra remessa.

Também contrariei a "receita-mãe" e não fiz a cobertura de chocolate e manteiga de amendoim. Não tinha chocolate em casa e não quis ter mais trabalho. Para mim, os biscoitinhos estavam ótimos assim. Meu irmão partilha da mesma opinião, isso é o suficiente.

Rendeu bastante e tenho certeza de que todos vão gostar. Vai por mim e faz pra um café num dia frio.

terça-feira, 10 de julho de 2012

Avenida Brasil

Estou totalmente viciada em Avenida Brasil. Nem sou muito de novela, mas essa me pegou de jeito. Não perco um capítulo e quando não consigo assistir algum ou mesmo uma parte importante, vou no TVG.


Mas o que chama atenção na cozinha são os pingentes da Nina/Rita. Fui pesquisar e descobri que eles são feitos de osso e custam R$250,00. Como tem muita gente doida com eles por aí, mas que não tem toda essa grana para pagar, encontrei algumas opções alternativas e superbonitinhas para nós, cozinheiras, termos no pescoço.


E quem sabe não encontramos o Cauã Reymond por aí?

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Almôndegas do Jamie Oliver

Nunca tinha feito almôndegas e achei que minha estréia deveria ser em grande estilo, reproduzindo a receita do Jamie Oliver que achei no Pitéu. Confesso que a carne estava gordurosa demais e não fez jus ao prato. Nem por isso digo que as almôndegas não foram as mais deliciosas que já comi. Marido também amou e fez mil elogios.


Eu deveria ter usado patinho, que - agora sei - é a carne adequada. Mas já tínhamos comprado acém e foi essa mesmo. Também fiz outras adaptações, mas tentei me manter fiel aos temperos, pois são eles que dão sabor ao prato.

Usei 1/2 quilo de carne. Coloquei numa tigela e misturei com 1 fatia de pão de forma esmigalhada, 1 ovo, 1 colher (sopa) de orégano, 1 colher (chá) de cominho e 1 de alecrim, sal e pimenta do reino moídos na hora, 1 colher (chá) de alho picado e outra de mostada dijon. Misturei tudo com a mão até ficar bem homogêneo e danei a fazer bolinhas. Gosto das almôndegas menores, então fiz pequeninas.

Levei ao fogo uma frigideira alta, com um pouquinho de azeite. Coloquei um pouco das almôndegas de modo que todas estivessem em contato com o fundo da panela. Mexi a frigideira, sem usar colher, para que as bolinhas fossem virando e corando de todos os lados. Este processo é apenas para selar a carne e para dar um tostado a elas. As almôndegas irão terminar de cozinhar dentro do molho. Retire quando estiverem douradinhas e coloque, na mesma panela, sem acrescentar gordura, mais uma leva. Repita o processo até terminar.

Numa outra panela, faça um molho de tomate de sua preferência e despeje as almôndegas. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, por cerca de 10 minutos. Se não for consumir tudo (essa receita deu mais de 40 bolinhas), você pode congelá-las já com o molho. Para descongelar, é só levar ao fogo.

No nosso caso, acompanhou um espaguete Barilla e queijo parmesão ralado na hora. Não podia ter almoço mais gostoso para um sábado preguiçoso. Obrigada, Jamie (e Katita)!

domingo, 8 de julho de 2012

Mochilas Deliciosas

Fico em dúvida sobre qual é a melhor... Donuts, jujuba ou cupcake? Como levar a doçura por aí?




Quero as três. Ei, você aí, me dá uma mochilinha aí!!!

sábado, 7 de julho de 2012

Batatinha Calabresa

Um saco de batatas bolinha olhou para Marido na feira e ele as trouxe para casa. Viraram esse lindo petisco que acompanhou uma cerveja gelada e uma noite de futebol na TV.


Peguei a receita no Culinária D'Adriana e é bem prática.

No liquidificador, coloquei uma cebola, 1 colher (chá) de alho picado e 500ml de água. Bati bem para virar um "suco". Coloquei numa panela junto com as batatas já lavadas e levei ao fogo. Juntei algumas folhas de louro, 1/2 xícara (chá) de azeite, 1/3 xícara (chá) de vinagre, 1 colher (sopa) de pimenta calabresa desidratada e sal. Deixei cozinhar em fogo baixo até que as batatas ficassem macias, cuidando para a água não secar e mexendo de vez em quando. O ponto ideal é quando elas estão cozidas, porém não desmanchando.

Coloquei num refratário e deixei esfriar. Não deu tempo de levar para gelar, pois elas terminaram antes disso. Mas, se estiverem tampadas, elas duram alguns dias na geladeira. Dizem que se elas ficarem curtindo por um dia ficam melhores ainda. Vou ter que testar de uma outra vez.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Waffle Forno de Minas

Quando compro um produto e gosto muito, fico com vontade de deixar a dica aqui. Não ganho nada por isso, é só porque eu gosto quando alguém faz o mesmo para mim. Esse waffle é demais, compramos e amamos, então deixo a indicação para quem quiser provar.


A embalagem é essa aí de cima e ele fica na seção de congelados, perto do pão de queijo, das sobremesas etc. Vem com seis unidades e pagamos aqui no Rio algo em torno de quatro reais. Acho um bom custo-benefício, considerando que o trabalho para fazer é mínimo e o sabor é ótimo.


Dá pra esquentar no forno ou na torradeira. Não testamos no forno, só na torradeira mesmo. É bem rápido, fica pronto em dois minutos e sai quentinho, pronto pra passar o que você quiser. Provamos com doce de leite (o da foto), com requeijão e com geléia. Todos ficaram deliciosos. É um produto que não vai mais faltar no nosso freezer!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Cupcake Prestígio

Estava com desejo de comer cupcakes de chocolate com cobertura de coco, sei lá porquê. Fui ao supermercado, comprei o que faltava e fiz. Para a finalização e a decoração (e o consumo, claro), contei com a preciosa ajuda das minhas duas sobrinhas.

Crédito da foto: Mariana Ferreira
Para a massa, usei:

200g de manteiga em temperatura ambiente
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
2 ovos
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1/2 xícara (chá) de chocolate em pó
3/4 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa) de fermento em pó

Para a cobertura, usei:

1 lata de leite condensado
50g de coco ralado
1/2 caixinha de creme de leite

Na batedeira, coloque a manteiga e o açúcar e bata até ficar um creme fofo. Junte os ovos, um de cada vez, e bata. Adicione a farinha e o chocolate em pó intercalados com o leite e bata até ficar homogêneo. Misture o fermento. Distribua a massa em forminhas de papel, encaixadas dentro de outra forma (pode ser de empada) e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos ou fazendo o teste do palito. Enquanto isso, prepare a cobertura misturando o leite condensado e o coco em uma panela. Leve ao fogo até engrossar, desligando no ponto em que estiver um creme grosso, que cai da colher aos pedaços. Desligue e continue mexendo para esfriar. Deixe amornar e só então misture o creme de leite. Coloque em um saco de confeiteiro e decore os cupcakes quando estes já tiverem esfriado.

Era para a cobertura estar desenhadinha, pois tentamos usar um saco de confeiteiro, mas ele não resistiu às pequenas e estourou. Logo, a finalização foi feita como deu. Ainda assim, elas ficaram super orgulhosas dos bolinhos. E não era pra menos, eles estavam gostosos mesmo!

quarta-feira, 4 de julho de 2012

O Que Comi em Santiago - Última Parte

No último dia de nossa viagem, subimos a montanha até Valle Nevado e conseguimos ver neve!!! E também provar duas delícias típicas do Chile.


O suco de framboesa, feito da fruta e não da polpa congelada, foi uma grata surpresa. Acompanhou o sanduíche Barros Luco, feito de pão francês, fatias de carne e queijo derretido. No Chile, ele leva o nome de um presidente e é uma instituição nacional. Mas essa iguaria é típica em muitos países. Em Portugal ele se chama prego e já postei aqui.


Mas o melhor de toda a viagem foi a descoberta e a paixão despertada pelo Sahne-Nuss, o chocolate dos deuses. A sua melhor forma é o sorvete Danky. É uma espécie de cornetto, feito de chocolate e amêndoas - como o Sahne-Nuss - com uma amêndoa coberta de chocolate e cobertura de chocolate, além do fim da casquinha ser recheado de chocolate. Pode acreditar que isso que a sua imaginação está dizendo que é uma delícia não chega nem perto do real sabor desta maravilha!


Agora me diz: o que eu faço? Não posso nem implorar para o próximo que for ao Chile trazer... Sim, eu já pensei em me mudar pra lá, mas não sei se rola. Porque, minha gente, viver sem isso tá difícil!!!

terça-feira, 3 de julho de 2012

Focaccia

Esta é uma receita que estava na minha lista faz tempo, mas por algum motivo eu nunca fazia. Até ensaiei preparar uma focaccia para um churrasco aqui em casa, mas acabou que choveu, o churras não aconteceu e a focaccia só saiu agora. Porém, já que vi como é fácil, vai rolar sempre.


Em uma tigelinha, coloquei 1/4 xícara (chá) de água morna, 10g de fermento biológico seco e 1 1/2 colher (sopa) de açúcar. Mexi e deixei descansar por 5 minutos. Em uma tigela grande, coloquei 3 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo, 2 colheres (chá) de sal e despejei a misturinha de fermento. Juntei mais 1 xícara (chá) de água morna, 1/4 xícara (chá) de azeite e mexi com uma colher (isso porque não gosto muito de enfiar a mão na massa; se não for o seu caso...). Polvilhei farinha na pedra da pia - limpa, é claro - e sovei a massa por coisa de 5 minutos, até que ela ficou bem elástica. Untei um tabuleiro com bastante azeite, coloquei a massa lá dentro e deixei descansar dentro do forno desligado por 45 minutos. Retirei, pressionei a massa para que ela preenchesse todo o tabuleiro e deixei descansar mais 10 minutos. Tirei novamente o tabuleiro e liguei o forno. Apertei a ponta dos dedos na massa para que ela ficasse com esses sulcos, espalhei sal grosso grosseiramente moído, alecrim e tomilho frescos e orégano seco por cima. Reguei com mais azeite e levei ao forno médio até dourar, cerca de 30 minutos.

É uma delícia para servir de entrada, sozinha, cortada em quadradinhos, ou acompanhada de um antepasto ou só mesmo um azeite temperado com bastante alho ou uma manteiguinha honesta. É simples, pouco trabalhoso e barato de fazer, portanto pode ser ideal para aquele almoço com muita gente. Sem contar que agrada a todos, porque todo mundo gosta de um pão, né? #Ficaadica.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Que Comi em Santiago - Parte 4

A culinária peruana está na moda no mundo todo. No Chile, então, nem se fala. O melhor restaurante da cidade, o Astrid Y Gastón, é um peruano. Escolhemos um outro, o Tambo, também peruano, com tudo muito saboroso e bem mais barato.


Pedimos dois ceviches diferentes, este da foto é o misto, com peixe e frutos do mar. O outro era só de peixe, cortado em tirinhas como sashimi, mas devoramos tão rápido que não tirei foto. Duas coisas me chamaram a atenção no prato: este milho branco com grãos enormes e o pedaço de abóbora que foi, com o perdão do trocadilho, a cereja do bolo. O sabor docinho da abóbora com o picante do molho ficou demais!


Pedimos também uma salada ceasar, que lá se chama césar (adorei!). Havia alguns dias que não comíamos verdura e o corpo já estava pedindo... Pra falar a verdade, acho que foi a melhor ceasar que já comi na vida. O molho estava maravilhoso e o frango grelhado por cima ficou bem melhor do que ele desfiado. Realmente perfeita!

Foi um jantar de dia dos namorados adiantado, porém extremamente gostoso. A cerveja estava gelada, o ambiente da casa é bastante aconchegante, com velas, aquecedores e tudo o mais. A comida, então, nem se fala. Super recomendo o lugar para quem vai a Santiago.


No caminho para o restaurante, passamos por um café que chamou a atenção pela "especialidade". A placa na porta anunciava um smoothie de cannabis, ou melhor, uma vitamina de maconha. Diz a propaganda que é livre de THC, a substância entorpecente da planta. Nem Marido nem eu provamos, custava 13 reais, era muito só pra experimentar. Mas o café oferecia outros produtos com a mesma matéria-prima. Fica em Lastarria para quem estiver por lá e quiser dar uma passada.

domingo, 1 de julho de 2012

Canelloni de Queijo Minas e Blanquet de Peru

Como estive em casa por estes dias, por conta da labirintite, fui obrigada a fazer almoço só para mim. Não curto muito cozinhar para uma pessoa só, acho que dá uma trabalheira danada, suja um monte de louça pra fazer pouca comida e acabo desanimando. Mas, como era importante me alimentar e andava super enjoada, me esforcei para fazer coisas gostosas.


Esse canelloni foi fácil de fazer e ficou de encher os olhos. A massa da lasanha era daquelas pré-cozidas, que acabam de ficar prontas com o molho, no forno. Para o recheio, usei queijo minas esmigalhado com o garfo, temperado com orégano e manjericão seco, sobre fatias de blanquet de peru. Foi só arrumar na massa, enrolar e acomodar no pirex.


O molho branco eu fiz derretendo a manteiga, dourando a farinha de trigo nela e juntando, bem aos poucos, o leite. Sal e pimenta pra dar gosto e despejei sobre os rolinhos de massa. Muito queijo parmesão ralado por cima, forno por uns 20 minutos e estava pronto meu ranguinho. E gostoso, hein?