quinta-feira, 1 de março de 2012

A Benção/Maldição do All Inclusive


Marido e eu passamos o carnaval em um resort all inclusive. Pra quem nunca foi, trata-se de um hotel com muuuitas áreas de lazer, onde a comida e a bebida estão incluídos no preço da diária. Mas não se trata apenas de refeições e água, a coisa é abundante.


Tem café da manhã fartíssimo, com frutas, pães, ovos, queijos, frios, salsicha, bacon e muitas outras delícias, além de sucos variados, leite, café e até água de coco. Como o hotel fica no nordeste, tinha também tapioca, com queijo, queijo e presunto, coco com leite condensado ou queijo com goiabada. Era uma fila enorme toda manhã, porque ninguém dispensa essa gostosura!


Mal terminávamos o café e já começava a ser servido o almoço. Variados tipos de carne, feito das mais diferentes maneiras. Acompanhamentos mil e saladas vistosas faziam parte do espetáculo. Nem se passássemos duas horas almoçando daríamos conta de comer um pouquinho de tudo.


Como o resort é de um grupo espanhol, sempre havia exemplares da culinária espanhola ou da mediterrênea nas refeições. Provei a tortilla española (na foto lá de cima), que é uma torta feita com ovos e batata, e o peru ao molho de laranja, que eu acho que está mais pra francês... Mas, por sua localização, havia também pratos da culinária baiana no buffet. Na foto, uma mistureba total: paella, caruru e farofa!


A mesa de sobremesa tinha dois metros de comprimento. Pense na loucura de uma mulher se deparando com um troço desse! Os doces eram todos lindos, cortados ou feitos em tamanhos ideais para que você conseguisse provar vários. Na primeira garfada, o sonho ruía. Tudo tinha gosto de gordura e açúcar, sem definição. Durante seis dias, eu tentei, mas só o que salvou foram o pudim e o brownie com sorvete. Confesso que agradeci silenciosamente pela falta de sabor dos doces, porque não sei o que seria de mim se eles fossem realmente apetitosos.



Entre o almoço e o jantar, a pessoa normal pode ficar com uma fominha. Especialmente, se ela passa o dia entre a praia e a piscina, duas atividades que costumam deixar qualquer um faminto. Aqui não, não dá tempo de ter fome, tamanha a orgia gastronômica. Mas como resistir a um restaurante na beira da piscina servindo hamburguer, batata frita, nuggets, pizza e cachorro-quente? Como manter a dieta quando existe um carrinho de sorvete logo atrás de você? Como não se embebedar com um garçom que passa de 15 em 15 minutos e traz caipiroskas feitas na hora com frutas frescas?


Foram dias díficeis, confesso!!! Eu até que tentei me controlar, pensando: "eu já comi o hamburguer, já sei o gosto que tem". Então, apareciam autênticos churros espanhóis com calda de chocolate. Ou genuínos donuts quentinhos. Ou geniais bagels com cream cheese. Ou alguma outra guloseima que eu nunca tinha provado ou não comia há muito tempo e levava minha força de vontade embora.


Não vou nem entrar no quesito bebidas, porque sou uma senhora de família e não pega bem pra mim dizer o que ingeri por lá. Não seria capaz de confessar quantas caipivodkas de morango, abacaxi ou maracujá, quantos cocos loucos, quantos blue hawais e tequilas sunrises tomei. Basta uma foto-degustação: caipiroska de limão e piña colada, o qual foi eleito o MEU drink.

Sigam o meu conselho, pensem bem antes de ir a um desses resorts...

P.S.: Mas se quiserem ir, me mandem um e-mail que dou dica de diárias mais em conta. Hehehehe...

2 comentários: