terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Comida de Minas II

Fizemos uma viagem, em 2010, para as cidades históricas de Minas Gerais. Foi um verdadeiro deleite, cultural e gastronomicamente falando. Comemos horrores e focamos no pratos mais tradicionais. Desta vez, foi diferente, até mesmo porque o lugar era outro. A viagem foi para Belo Horizonte, com a intenção de conhecer o tão falado museu Inhotim. Sendo assim, a comida foi, digamos, mais contemporânea.


Belo Horizonte é famosa por seus botecos e por ter dado início ao festival Comida di Buteco, que hoje está presente em várias cidades do Brasil. O boteco Casa Cheia fica no Mercado Central e já ganhou algumas vezes o título de petisco do ano neste festival. Fomos até lá para provar delícias e, apesar da espera por uma mesa (o lugar honra o nome), valeu a pena.


O prato da foto lá de cima é o Mexidoido Chapado. Trata-se de um mexidão de arroz com picanha, lombo defumado, linguiça caseira, bacon, legumes no azeite, um ovo de codorna frito e pimenta biquinho. Ainda é servido numa frigideirinha de ferro que dá vontade de sair pra comprar.

O outro prato que provamos foram as almôndegas exóticas: almôndegas de carne-de-sol recheadas com queijo ao creme de abóbora com manjericão. É servido com arroz de brócolis e batatas fritas. E a pimenta biquinho, aquela que não queima a boca, só dá um ardidinho leve e gostoso. Ambos os pratos eram diferentes do que estamos acostumados a ver como comida mineira e ao mesmo tempo tinham toda a inspiração nela.


Como estávamos com meu sobrinho adolescente, resolvemos jantar em uma lanchonete super bacana: o Eddie Fine Burgers. O lugar é decorado no estilo anos 50, bem americano, "transado". Comemos um Italian Style (pão de hamburger com gergelim, carne, mussarela de búfala, molho à base de mostarda, rúcula e tomate seco ) e um San Francisco (pão de hamburger com gergelim, carne, queijo, cebola marinada no shoyu, maionese, alface e tomate). Os dois vieram com batatas fritas, estavam gostosos, mas, preciso dizer, o Italian Style é maravilhoso!!!


Para arrematar a noite, banana split. Não comia esta sobremesa há anos, é uma lembrança forte da infância. Pela foto já dá pra ver que estava perfeita. Foi rapidamente devorada.


O último, porém não menos importante, restaurante da viagem foi o Xapuri. Ele é um dos principais restaurantes de comida regional de BH e, provavelmente, o mais famoso. A comida é de primeira, adoramos tudo.


Meu predileto foi esse: bolinho de mandioca com recheio de mussarela. Provamos também o pastel de angu com recheio de carne seca. Este último estava um pouco gorduroso pro meu paladar, porém o sabor era bem bom. Pedimos meia porção de ambos, porque, como todo mundo sabe, fartura é o princípio da comida mineira.


O prato principal foi vaca atolada. Pra quem não conhece, é um panelão com costela de boi cozida com mandioca e temperos. Veio com arroz, feijão e couve e nós pedimos também uma porção de feijão tropeiro. O caldinho da carne foi a estrela do prato, junto com a carne desfiando de tão macia. Um deu pra três pessoas comerem e ainda sobrou um pouco.


Para arrematar a refeição o restaurante oferece café passado no coador e bolo de mandioca fresquinho. Irresistível! Até mesmo pra quem está com a barriga cheia.


Resumo da ópera: voltei alguns quilos mais gorda, munida de frigideira de ferro, queijo meia cura e da Serra da Canastra, um saco de pimenta biquinho e um pote de doce de leite. É impossivel ir a Minas Gerais e não estar rodeada por comida saborosa o tempo todo. Na boa, tenho sorte de não morar nessa terra, porque ia ter obesidade mórbida!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário