sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Muffins de Cenoura com Gotas de Chocolate

Aniversário de uma grande amiga do trabalho, mas ela não queria festa, nem bolo. Como não falou nada sobre muffins, fiz esses pra ela. Quando lembrei de fotografar, já estavam no pote...


2 cenouras grandes
4 ovos
1 xícara (chá) de óleo
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
3 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento
1 xícara (chá) de gotas de chocolate

Em uma vasilha grande, coloque o açúcar, a farinha e o fermento. Reserve. Descasque as cenouras e fatie-as em rodelas. No liquidificador, ponha as cenouras, os ovos e oléo e bata até ficar homogêneo. Adicione esta mistura à vasilha com os ingredientes secos e misture bem. Junte metade das gotas de chocolate e mexa. Distribua a massa em forminhas para cupcakes, dispostas dentro de formas grandes de empada. Espalhe as gotas de chocolate restantes por cima e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos.

Não fica seco como dizem que o muffin deve ser. Fica molhadinho e o chocolate não chega a derreter, mas também não fica sólido. Em poucas palavras, é perfeito!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Bolonhesa com Tomate Seco

Dia desses, Marido fez pra nós uma de suas especialidades: macarrão à bolonhesa. Só que dessa vez com um toque especial: um pouco de tomate seco por cima do molho. Foi um jeito de tornar diferente um prato já clássico aqui em casa.


Eu, particularmente, adorei! #ficaadica

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Rondelli de Ricota e Nozes

O resto da ricota usada no patê serviu para este rondelli. O processo de fazer o recheio é quase o mesmo do patê: coloca no processador a ricota (metade de uma), 1 xícara (chá) de nozes e 1/2 caixinha de creme de leite. Bate tudo até ficar bem homogêneo. Abra a massa em superfície, espalhe 2 colheres (sopa) de recheio e enrole como um rocambole. Corte em rodelas não muito finas.


Coloque em um pirex, cubra com molho branco bem líquido - para ajudar a cozinhar - e leve ao forno médio por cerca de 30 minutos. Sirva com queijo parmesão ralado.

Eu recomendaria esta receita para você servir num jantar para amigos ou para os sogros. Primeiro, porque você pode fazer os rondellis com alguma antecedência e já deixar no pirex, com molho e tudo, na geladeira, tendo como único trabalho colocá-los no forno 50 minutos antes de servir (porque, neste caso, como eles estarão gelados, é melhor dar mais um tempo de forno). Segundo, porque agrada a todos, até mesmo os que não comem carne ou estão de dieta, e não é muito comum as pessoas terem alergia a nozes, isso acontece mais com amendoim e castanha; ou seja, há grandes chances de você acertar com todo mundo. Terceiro, porque este recheio dá um certo sabor chique ao prato, acho que pelas nozes, e seu jantar fica com jeito de fino.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Promoção da Hellmann's

Gente, tô aqui quebrando minha cabeça, mas não consigo criar uma receita com maionese!


Se você conseguir criar ou tenha uma que já criou, manda pra promoção, no site http://www.deliciascommaionese.com.br/, que você pode ganhar R$10.000,00 e uma viagem com acompanhante para Buenos Aires!

Ah, ninguém me paga pra falar essas coisas não, tá? É que eu acho que todo mundo ia gostar de ganhar uma graninha e uma viagem na faixa, né? E também tenho a esperança de que a vencedora, caso seja leitora do blog, queira me levar como acompanhante...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Cachorro-Quente de Tabuleiro

Como vocês viram na coluna de Marido, ele estava com vontade de comer cachorro-quente... Em casa, só tínhamos as saborosíssimas salsichinhas de frango e muita preguiça de ir na rua comprar pão ou de fazê-las como mini cachorrinhos. Surgiu então essa ideia.


A massa foi feita na máquina de pão, quase igual à dos mini cachorrinhos, exceto pelo fato de eu ter substituído 1 xícara de farinha de trigo comum pela integral. Com a massa pronta, abrimos (ou melhor, espalhamos), com a mão mesmo, num tabuleiro médio. Depois, dispomos as salsichinhas como na foto. Levamos ao forno médio por cerca de 40 minutos. O resultado foi esse:


O pão cresceu e envolveu a salsicha. Como elas inflaram no calor, sobrou um espacinho entre o pão e a salsicha, mas ela não ficou solta, prendeu por baixo. Essa "folga" foi então usada para colocar catchup e mostarda! Pense se não é prático?

Dica: se quiser serví-lo quente, unte o tabuleiro; caso contrário, não precisa. Depois de frio, ele fica soltinho...

domingo, 25 de setembro de 2011

S.A.C.I.E. - Cachorro-quente

Hoje inauguramos uma nova seção aqui no blog: a coluna S.A.C.I.E. Como todos os que acompanham o Pitaco sabem, Marido é participante ativo das postagens, seja fazendo as receitas, provando ou palpitando. Assim, achei que já era tempo dele começar a escrever sobre o que mais gosta: bobagens aparentemente sem importância, mas que a-do-ra-mos saber. Tem início então a sua coluna.


Todo guloso que se preza pensa em comida o tempo todo - ou pelo menos nos curtos intervalos entre as refeições, quando pensamos qual será a próxima delícia a ser devorada. Curiosamente, e isso pode soar estranho, tenho pensado muito em cachorro-quente. Pensado em comé-los, é claro. Talvez seja a proximidade da viagem que eu e minha mulher faremos para Nova York, onde comeremos muitos deles.

São infinitas as formas de se comer um bom HOT DOG. Nesse delicioso passeio pela cultura inútil, descobri mais de 20 formas de saborear um cachorro quente. Do tradicional com ketchup e mostarda, do prensado na chapa servido em Porto Alegre, dos misturados com salada, molho, batata palha, ovo de codorna e tudo o que mais couber, a ponto de não conseguirmos mordé-lo sem que tudo se esparrame, ao esquisitíssimo hot dog com purê e carne moída servido à moda paulista. Sem preconceito, difícil é descobrir quem não aprecia montar o seu próprio hot dog.


A ORIGEM DO CACHORRO QUENTE


Existem três correntes distintas para explicar como o cachorro quente entrou na nossa história.

A primeira e mais óbvia, atribui a criação a um açougueiro de Frankfurt, cidade conhecida por suas salsichas. O açougueiro de nome desconhecido, resolveu batizar as salsichas que fabricava com o nome do seu cachorro.

A segunda corrente atribui a criação do hot dog ao imigrante alemão Charles Feltman, que levara as tradicinais salsichas alemãs para os Estados Unidos em 1880, criando o eternizado sanduiche quente com um pão logilíneo no formato da salsicha e molhos.

A terceira e última, que pode não ser a verdadeira história, mas é sem dúvida a mais interessante, afirma que o hot dog surgiu em 1904 na cidade amaricana de St. Louis, quando um criativo vendedor de salsichas quentes bolou uma maneira de evitar que seus clientes queimassem as mãos distribuindo luvas de algodão para quem comprasse as salsichas. O problema era que os clientes não devolviam as luvas utilizadas, o que em curto prazo representou um prejuízo para o vendedor de salsichas. Você, leitor, deve estar se perguntando: luvas de algodão e salsichas quentes não fazem um cachorro quente? Foi quando o cunhado do vendedor de salsichas entrou nessa história. Ele, que além de padeiro era esperto, fato raro nos cunhados, sugeriu que o vendedor substituisse as luvas de algodão por pães, nascendo com a sugestão do cunhado, talvez o único da história que não levou uma grana do parente, o apetitoso HOT DOG, uma delícia universal para todas as idades.

Até a próxima.


S.A.C.I.E. (Sabores, Aromas, Cultura Inútil e Estórias)
Cristiano Tebaldi

sábado, 24 de setembro de 2011

Mussaka

Quando disse a Marido que ia fazer mussaka, ele logo perguntou: "Que que é isso?". Aos que não conhecem, respondo: é uma torta grega de berinjela, carne e molho. Pode experimentar, porque é divino.


Essa receita dá pra dois esfomeados, como nós:

2 berinjelas médias
2 colheres (sopa) de azeite
2 batatas grandes
1/2 kg de carne moída
1/2 sachê de molho de tomate
2 colheres (sopa) de margarina light
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
400 ml de leite
4 colheres (sopa) de queijo ralado
6 fatias de mussarela

Corte a berinjela em fatias bem finas. Grelhe-as em uma frigideira antiaderente, com um pouquinho de azeite. Reserve.
Corte as batatas em rodelas bem finas. Leve-as ao fogo em uma panela com água e retire quando estiverem al dente (mais pra dura).
Prepare a carne moída a seu modo e, quando pronta, adicione o molho de tomate.
Em outra panela, derreta a margarina e adicione o leite misturado à farinha de trigo. Mexa sem parar até que engrosse. Tempere com sal e pimenta e adicione o queijo ralado.
Agora a montagem: em um pirex, coloque metade da berinjela, metade da carne moída e metade da batata. Repita o processo. Despeje por cima o creme branco e cubra com as fatias de mussarela. Leve ao forno para gratinar e sirva.


Pode parecer trabalhoso, mas nem é. E o resultado é incrível.

P.S.: Receita adaptado do livro Cozinhas do Mundo, Grécia.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Feira da Época

Hoje chega a primavera. Pra mim, pessoalmente, a melhor estação de todas. Aqui no Rio já começa a fazer o calor característico, mas não chega a ser o "Hell de Janeiro". Acho que as pessoas também ficam mais alegres e a cidade, mais colorida.


Como mostra a própria foto, Mercado de San Telmo, Buenos Aires
Uma nova estação, novos vegetais na feira. Listo abaixo as frutas, legumes e verduras da época para nos guiarmos. Obviamente, veremos estes com mais frequência aqui no Pitaco, pois uso nas receitas aquilo que compro, e compro aquilo que é mais barato, porque o meu dinheiro - ainda - não dá em árvore.

São eles:

FRUTAS:


- ABACAXI PÉROLA
- ACEROLA
- BANANA NANICA E PRATA
- CAJU
- JABUTICABA
- KIWI
- LARANJA LIMA E PERA
- MAÇÃ FUGI E GALA
- MAMÃO FORMOSA
- MAMÃO HAVAÍ
- MANGA
- MARACUJÁ
- MELÃO
- MEXERICA
- MORANGO
- PÊSSEGO
- TANGERINA MURCOTE

LEGUMES:

- ABÓBORA
- ABÓBORA JAPONESA
- ABOBRINHA BRASILEIRA
- ALCACHOFRA
- BATATA DOCE
- BETERRABA
- CARÁ
- ERVILHA TORTA E COMUM
- FAVA
- INHAME
-PIMENTÃO AMARELO

VERDURAS:

- ALMEIRÃO
- ASPARGOS
- BETERRABA
- BRÓCOLIS
- CHICÓRIA
- COUVE
- COUVE-FLOR
- ENDÍVIAS
- ERVA DOCE
- ESCAROLA
- ESPINAFRE
- MOSTARDA
- NABO
- RABANETE


A lista foi retirada do site Petit Chef, que, por sua vez, se baseou no quadro do site da CEAGESP. Só coloquei os principais, até porque eu não tenho ideia do que seja catalunha... Tentarei usá-los mais, mesmo sentindo falta da companheira cenoura.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Patê de Ricota com Cenoura

Aqui em casa costumávamos neglicenciar o café da manhã. Nenhum de nós acorda com fome e sempre estamos atrasados, logo essa refeição era deixada para a hora em que a fome batesse, o que acontecia quando estávamos na rua e então comíamos algo menos saudável, como pão de queijo e sanduíches.


Para mudar este quadro, temos nos esforçado em fazer do café da manhã também uma refeição gostosa. Sendo assim, procuramos delícias nutritivas para começar bem o dia. Assim veio este patê.

É só bater no processador metade de uma ricota com uma cenoura cozida, em rodelas. Como fica um pouco grosso, adiciono um pouco de leite desnatado (para não ter que recorrer ao creme de leite). Para dar mais sabor, uma pitada de sal e 1 colher (chá) de orégano. Dura cerca de 4 dias na geladeira.

Para o sanduíche ficar perfeito, pão integral light e fatias de blanquet de peru. Café da manhã gostoso, reforçado e pouco calórico. Para beber, ice tea zero.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Polpeburguer


Lembra do polpetone? Olha ele aqui, dando pinta num hamburguer! Bastou um pão com gergelim, alface, tomate e maionese para ele se transformar em outro. #ficaadica

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Sopa Vichyssoise

Aproveitando que falamos sobre delícias quentinhas para aquecer o coração, posto aqui a receita de uma sopa incrível. Receita tipicamente francesa.


Pique 1 alho-poró em rodelas bem finas. Descasque 3 batatas médias e pique-as. Pique também 1/2 cebola. Em uma panela, derreta 1 colher (sopa) de margarina e doure a cebola. Acrescente o alho-poró (deixe alguns para decorar) e refogue, mexendo sempre. Junte as batatas, 1 cubo de caldo de galinha e 700ml de água fervente. Abaixe o fogo e cozinhe por cerca de 20 minutos, ou até as batatas estarem bem cozidas. Desligue o fogo, deixe amornar e bata no liquidificador (no meu caso, mixer, dentro da panela mesmo) até obter um creme homogêneo. Adicione 1/2 xícara (chá) de leite, misture e sirva, quente ou fria, decorada com o alho-poró e um fio de azeite.

Marido e eu achamos deliciosa, com um sabor fino, apesar de bem temperada. E a consistência de creme me agrada mais do que a do caldo.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Submarino


Tá vendo as duas fotos acima? São o antes e o depois do melhor chocolate quente da face da terra. Ele é comum em cafeterias e agora aqui em casa também.

É simples, simples de fazer: ferva 250ml de leite e despeje-o, ainda bem quente, em uma caneca. Coloque chocolate em barra aos pedaços dentro deste leite, mexa delicadamente e deixe que o calor derreta o chocolate.

No meu caso usei leite desnatado e duas barras de chocolate da Cacau Show, no total de 100gr de chocolate. Uma barra era ao leite e a outra 70% cacau, o que fez com a cor ficasse mais escura no resultado final e também deixou o chocolate quente menos doce, já que a barrinha 70% tem menos açúcar.

Bom pra relaxar no fim da tarde, para aquecer vendo TV ou para acalentar antes de dormir.

domingo, 18 de setembro de 2011

Frango com Maracujá e Cachaça

Mais um jeito de incrementar o franguinho nosso de todo dia. Inclusive tipicamente brasileiro.


Corte meio peito de frango em cubinhos e tempere com sal e pimenta. Em uma panela, derreta a 2 colheres (sopa) de margarina e frite 1/2 cebola picada. Doure o frango, junte 1 cubo de caldo de galinha, 1 xícara (chá) de água, diminua o fogo e cozinhe por 10 minutos. Dissolva 1/2 colher (chá) de amido de milho em 100ml de suco de maracujá (não refresco, suco), adicione 2 colheres (sopa) de cachaça a essa mistura e despeje na panela, mexendo sempre, até engrossar. Polvilhe cebolinha picada e sirva.

sábado, 17 de setembro de 2011

Intihuasi

Se você é do Rio, ou mesmo se está aqui de passagem, e gosta de conhecer a culinária de outros países, recomendo o restaurante Intihuasi. Serve unicamente comida peruana e, como é bem pequenininho, vale a pena reservar.


O prato mais conhecido do Peru é o ceviche, que inclusive está na moda mundo afora. O de linguado do Intihuasi é perfeito (tentei tirar uma foto do prato, mas não ficou boa). Mas prove também outras iguarias, como o trio de pamonhas, os ceviches de frutos do mar ou os bolinhos de batata e milho. Para beber, uma cerveja bem gelada ou o tradicional pisco.

O site é esse, dá pra ver o cardápio, se quiser. Fica na Barão do Flamengo, 35, uma rua entre o Largo do Machado e a Paissandu. Não é dos mais baratos, espere gastar cerca de 100 reais para duas pessoas. Entretanto, não deixa de ser uma viagem gastronômica.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Carne com Couve-Flor e Ervilhas

Eu amo couve-flor. Mais ainda quando está na safra e ela surge na feira, bonita e barata. Mas vamos combinar que, em uma casa com duas pessoas, uma couve-flor será, certamente, um desperdício. Então tento enfiá-la em outros pratos, pra não jogar fora e também pra comê-la mais vezes.


Nesse caso, uma almocinho simples. Cortei 3 bifes em cubinhos e levei-os à panela com 1 dente de alho douradinho no óleo. Deixei fritar, temperei com sal, pimenta e meio cubo de caldo de carne. Juntei água e deixei cozinhar porque a carne não estava tão macia. Enquanto isso, lavei algumas florzinhas de couve-flor com bastante cuidado, pois às vezes dá lagarta no meio delas. Cortei em flores menores e adicionei à panela. Coloquei também 1/2 xícara de chá de ervilhas congeladas. Tanto a couve-flor quanto as ervilhas cozinharam no caldinho da carne e pegaram o gosto.

Servi só com um arroz bem branquinho, já que tínhamos a carne e os legumes no acompanhamento.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Polishop

Vale aqui uma sessão confessionário? Quando não tem nada de bom passando na televisão, coloco no canal do Polishop! Acho superdivertido todos esses produtos revolucionários, com nomes em inglês, que você sempre acha que precisa ter, mas não precisa.


E o tal Kitchen Revolution?  Parece mesmo que vai mudar a sua vida na cozinha... O problema é que ninguém mostra onde guardar, como limpar, qual o trabalho que vai dar pra montar... Por isso eu gosto mesmo é de ficar assistindo, e nunca comprei nada.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ragu de Linguiça

Mais uma da Claudia Comida e Bebida. Sinceramente, não entendo porque não vendem só o suplemento, separado da Claudia. Porque a revista principal é muito chata, mas as receitas da revistinha são ótimas!


Essa é receita na íntegra, porque desta vez quase consegui seguir. Não usei alguns temperos porque não tinha e mudei para linguiça de frango, porque é a que posso comer.

Em um prato, esmigalhe 400g de linguiça (você deve cortar a "pele", e a carne mesmo já estará praticamente moída). Em uma panela, aqueça 2 colheres (sopa) de azeite e frite a carne, em fogo alto, por 10 minutos ou até dourar. Acrescente 1 garrafa de passata de tomate (são aquelas garrafinhas com molho líquido, que achamos perto dos molhos prontos no supermercado; se não tiver, como eu não tinha, triture no mixer uma lata de tomate pelado). Junte 3 tomates cortados em pedaços pequenos, 1/2 xícara (chá) de água, 1/2 cenoura também em pedaços pequenos, 1 talo de salsão picado e tempere com sal, tomilho e pimenta calabresa. Cozinhe em fogo médio, com a panela semitampada e mexendo às vezes, por 25 minutos ou até o molho ficar encorpado. Sirva sobre a massa de sua preferência.

Nós gostamos. Foi uma ótima variação para molho de macarrão, pois tem uma hora que a criatividade falha, né?

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Birita

Tá interessado em "uns bons drink"? Faz esse:


1 parte de tequila
1 parte de creme de leite
1 parte de licor de laranja
algumas gotas de groselha

Agita tudo na coqueteleira e põe no copo. É doce, mas não é nada enjoativo. E nem é drink de mulherzinha.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Muffin de Nozes

Comprei um livrinho da União só de bolos e cupcakes. Escolhi esse daqui pra fazer, mas com algumas modificações, pois no original ele se chamava Muffin com Croconte de Noz-Pecã. Vou colocá-las entre parênteses.


Para o caramelo:

1/2 xícara (chá) de açúcar granulado
1/4 xícara (chá) de água
1/2 xícara (chá) de noz-pecã picada

Ferva o açúcar com a água até obter um caramelo médio. Fora do fogo, junte a noz-pecã, misture e despeje sobre uma superfície levemente untada com óleo. Reserve somente até endurecer. Com uma espátula, solte o caramelo da superfície, vire-o e, com um rolo, quebre-o em pedaços bem pequenos (NÃO FIZ NADA DISSO).

Para o muffin:

2 xícaras (chá) de farinha de trigo
3/4 xícara (chá) de açúcar (usei açúcar mascavo na mesma quantidade)
1 colher (sopa) rasa de fermento em pó
1 pitada de sal
2 ovos
1 xícara (chá) de leite
1/2 xícara (chá) de manteiga derretida (derreti no microondas)
1 colher (chá) de essência de baunilha (não pus)

Misture a farinha, com o açúcar, o fermento e o sal. À parte, misture os ovos com o leite, a manteiga e a baunilha. Adicione os ingredientes líquidos aos secos e misture rapidamente. Incorpore o crocante quebrado. Distribua a massa nas fôrmas descartáveis apoiadas em moldes de metal para muffin, preenchendo cerca de 3/4 da capacidade. Asse no forno preaquecido até que, ao espetar a massa com um palito, ele saia limpo. Espere cerca de 5 minutos para desenformar (Fiz quase igual, só não coloquei o crocante e a baunilha).

Renderam uns 12 muffins, não muito doces, que alegraram o nosso café da manhã.

domingo, 11 de setembro de 2011

Filmes sobre comida

O blog Cinema com você listou os 10 melhores filmes sobre gastronomia. Está aqui.



A lista é composta por:

1. A Festa de Babette
2. Toast
3. Ratatouille
4. Julie e Julia
5. Simplesmente Martha
6. Comer, Rezar, Amar
7. Antique
8. A Fantástica Fábrica de Chocolate
9. O Cozinheiro, O Ladrão, Sua Mulher e O Amante
10. Sabor da Paixão

Fiquei pensando em qual seria a minha lista, mas não cheguei a nenhuma conclusão. Não assisti Toast, nem Antique, nem o 9 (o título é muito grande...), então não posso opinar sobre eles.

Certamente deixaria Ratatouille, Julie e Julia, Simplesmente Martha e Comer, Rezar, Amar. Fico em dúvida quanto à Fantástica Fábrica de Chocolate.

Sinto falta de Como Água para Chocolate, Chocolate e Estômago. Talvez incluísse também Sem Reservas. E penso em A Comilança e Super Size Me, apesar de não mostrarem um lado tão legal da comida.

O que acham?

sábado, 10 de setembro de 2011

Polpetone

Tem um prato no Spoleto que é massa (à sua escolha) + polpetone. Adoro! O polpetone, na verdade, é uma almôndega gigante - ou um hambúrguer? - recheada com queijo.


Fiz do jeito mais simples possível: misturei 250g de carne moída com 3 colheres (sopa) de creme de cebola. Abri um saco plástico e moldei 1/4 da carne em forma de disco. Espalhei duas fatias de mussarela picadas sobre a carne, tomando o cuidado de não colocar nas beiradas do disco de carne. Peguei mais 1/4 da carne, coloquei sobre a mussarela e fui espalhando e amassando, de forma a unir as duas partes. Reservei este e fiz outro polpetone com o que sobrou da carne.

Aqueci uma frigideira antiaderente e coloquei o polpetone, sem óleo nem nada, porque a carne já tem a sua gordura. Deixei fritar bem de um lado, mais ou menos uns 2 a 3 minutos, e virei. Fritei o outro lado, retirei e reservei. O processo foi o mesmo com o outro polpetone.

Servi com massa, à la Spoleto. Talharim com molho de tomate simples e queijo ralado.

Não é pra me gabar não, mas nessa eu dei show! Faz e me diz!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Novidade!

Ih, nem contei. Nesse tempo em que estive ausente, recebemos coisa nova na cozinha:


Sai um Dako já cansado de guerra e entra esse aí, bonitinho. Mais um incentivo para muitas receitas!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Sopa de Cebola Gratinada

Tinha visto essa receita no programa do Jamie Oliver. Na hora não dei muita atenção, apesar de tê-la achado deliciosa. Como, nesses últimos dias, o inverno tem dado as caras no Rio de Janeiro, parti para ela.


Não achei a receita "oficial", só várias versões espalhadas pela internet. Juntei tudo e fiz a minha, bem à moda antropofágica.

Fatiei 3 cebolas bem fininho e deixei de molho na água quente por uns 10 minutos, porque dizem que ajuda a tirar o ardor (prepare-se pra chorar!). Coloquei 2 colheres (sopa) de manteiga, um fio de azeite  e 2 dentes de alho esmagados em um panela e levei ao fogo. Quando o alho começou a dourar, acrescentei as cebolas - devidamente escorridas - e mexi até murcharem um pouco. Temperei com sal e pimenta. Tampei a panela e deixei cozinharem em fogo baixo por uns 40 minutos. Quando achei que as cebolas já estavam macias e com uma cor mais morena, acrescentei 1 litro de caldo de carne e deixei cozinhar por mais uns 30 minutos.

Enquanto isso, cortei em cubos metade de um pão italiano e ralei cerca de 200g de queijo ementhal. Com a sopa pronta, coloquei em duas tigelas que pudessem ir ao forno, cobri com o pão de modo a formar um tampão e espalhei o queijo. Levei ao forno para derreter.

Marido amou. Comeu o dele e metade do meu, porque eu não gosto muito de cebolas mesmo. É óbvio que a minha receita não chegou nem perto da do Jamie, mas deu pro gasto.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

I'm back!

Então, tá. Voltei. Demorou, eu sei... Também estava com saudade! Mas agora é pra valer.

Há algum tempo estava querendo falar sobre uma coisa por aqui. É um programa de culinária do qual muito gosto, chamado Anonymus Gourmet. Não sei se vocês conhecem, é um programa do Rio Grande do Sul, mas como passa no Canal Rural muita gente de fora de lá consegue ver. Coloquei um vídeo para apresentar aos que nunca viram.



Eu, em geral, curto bastante programas de culinária, mas acho esse diferente dos outros. Primeiro, pelo apresentador, que não está preocupado em ser um grande chef, mas em fazer coisas gostosas. Além disso, ele tem um linguajar um pouco mais poético e vira e mexe rola uma dica de livro, de filme... Tá mais pra um papo de cozinha mesmo.

Experimentem e depois me digam. Se quiserem ver mais, o site dele é esse.