segunda-feira, 30 de maio de 2011

Panquecas de Iogurte

Sabe aquelas panquecas americanas que são bem grossas? Então, tava com vontade de comer. Busquei pela internet afora uma receita e gostei dessa, que leva iogurte na massa.


Fiz só a metade, porque somos dois. Rendeu 5 disquinhos, que foram devorados rapidamente com 1 colher de doce de leite e 1/2 de nutella.

Vamos combinar que os americanos são obesos, comem muita gordura e o café da manhã deles quase dá medo, mas que os caras entendem de sabor, isso é inegável!

sábado, 28 de maio de 2011

Torta de Frango e Requeijão

Já disse aqui que não sei fazer massa. Aí fui no Panelaterapia, blog da Tati, pra tentar achar algo, já que ela sempre posta coisas maravilhosas. Achei esse torta de frango e requeijão e, como ela fazia altos elogios à massa, me animei em fazer.


A receita tá neste link. Segui à risca. Deu certo? Mais uma vez, não. Desta vez não ficou tão dura, mas também não ficou igual à da foto dela. A massa é gostosa, só que ficou durinha, mais firme do que eu esperava.

Não sei se é a minha mão ou se é o forno, só sei que não funciona comigo. De qualquer forma, Marido e eu comemos tudo.

Sigo em busca da massa perfeita, para parodiar Marcelo D2.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Mandioquinha Rösti

Marido ama mandioquinha. E eu estava a fim de fazer esta receita pra ele há tempos. Aproveitei um domingo em que ele passou todo o dia fora, fui à feira e preparei um jantarzinho surpresa.


Para o rösti, você vai precisar de:

2 mandioquinhas médias
1/2 cebola pequena ralada
1 xícara (chá) de mussarela picada
1/2 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de pimenta-do-reino
1 colher (sopa) de manteiga

Descasque as mandioquinhas e rale-as no ralo grosso. Lave-as bem e escorra a água. Em uma tigela, misture a cebola com a mandioquinha, a mussarela, o sal e a pimenta-do-reino. Em uma frigideira média, aqueça a manteiga e coloque pequenas porções de mandioquinha, espalhando uniformemente com uma espátula. Doure os dois lados.

Para acompanhar, fiz um picadinho ao limão. É só dourar a outra metade da cebola, bem picada, em uma panela com óleo, fritar os cubinhos de carne até perderem toda a água, temperar e juntar a eles o suco de 1 limão. Fica um azedinho que combina perfeitamente com o sabor suave da mandioquinha.

Vai por mim, é um jantar leve e saboroso, que vai fazer sucesso.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Doritos Dippas

Marido e eu adoramos comida mexicana. Então, quando vimos esta novidade nas Lojas Americanas, já ficamos entusiasmados. Comprei o de cebola, achei que ia ser parecido com sour cream. E o que eles chamam de Doritos Dippas, que são as tortillas sem tempero.

(tome umas cervejas e tente tirar uma foto em um lugar com pouca luz: dá nisso!)

Essas tortilas são maravilhosas para se ter em casa e servir com guacamole. Quanto ao molho, não gostamos muito não. Tem gosto de maionese, com o tempo fica enjoativo, ao contrário do sour cream, que você quer comer mais e mais. De qualquer forma, como tínhamos também quesadillas e muitas Norteñas, a noite foi agradável.

Talvez ainda experimentemos molho de cheddar. Pode ser que seja melhor. Eu posto aqui se isso acontecer.

domingo, 22 de maio de 2011

Cupcake de Brownie com Nutella

Guloseima incrível, surpreendentemente a receita veio de um blog de decoração. Mudei algumas coisas, porque não tinha em casa. A original é essa aí debaixo, as modificações estão entre parênteses.


INGREDIENTES:

- 200g de chocolate meio amargo (usei 180g, porque era o peso da barra)
- 200g de manteiga (usei com sal)
- 2 xícaras de açúcar mascavo (não tinha, usei 1 1/2 de açúcar refinado, mas na próxima vou usar 1 só pois achei muito doce)
- 1 xícara de farinha de trigo integral (não tinha, usei a branca sem fermento)
- 4 ovos
- 30g cacau em pó (sei lá quanto é 30g, botei 1 colher de sopa; e usei chocolate em pó)
- 200g amêndoas ou avelãs, nozes, etc (a receita dizia que era opcional, não pus)
- 1 copo de Nutella (não cheguei a usar um copo, foi pouco mais de meio)

COMO FAZER:

Bater os ovos com açúcar até dobrar de volume. Derreter o chocolate com manteiga (pode ser no microondas, parando de 15 em 15seg pra não queimar). Misturar a farinha de trigo integral ao cacau. Misturar aos ovos. Adicionar à massa o chocolate derretido com manteiga. Caso queira colocar as nozes ou amêndoas, essa é a hora de misturá-las à massa. Encher 3/4 das forminhas de papel com a massa e colocar uma colher (chá) de nutela no centro, afundando um pouco. Assar a 180° por aproximadamente 25 min, ou seja, até a massa crescer e rachar na superfície (fiz quase igual, mas não misturei primeiro o cacau com a farinha para depois adicioná-los aos ovos, joguei logo a farinha e o cacau na vasilha da batedeira; e não precisei afundar a nutella: na hora ela ficou por cima, mas depois, no forno, desceu sozinha).

RENDIMENTO: 15 cupcakes

Agora alguém me diz: como eu vivo sem comer isso todos os dias?

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Batata Recheada

Eu amo Batata Inglesa! Não a variedade de batata, a lanchonete. Aquela que serve incríveis batatas assadas, com manteiga e salsa e repletas de estrogonoge. Ai, salivei...


Fiz essas batatas com aquela inspiração. Mas assar batatas no forno requer tempo, paciência, coisas que estavam me faltando na hora. Assei no microondas mesmo. Furei as batatas, coloquei em um prato e foram para o microondas não sei quanto tempo nem a potência, porque o daqui de casa possui a tecla batata, é só apertar e escolher quantos gramas de batata você vai por.

Como não sabia o peso das batatas, fui testando com um garfo até o ponto em que elas ficaram bem macias. Enquanto isso, parti pro recheio. Não ia rolar estrogonofe, então fiz um molho de tomate e coloquei salsichas picadas.

Para montar, abri as batatas com uma faca para separar a casca e depois retirei a polpa (que, mais tarde, virou um purê) com uma colher pequena. Pus o molho e salpiquei queijo parmesão por cima. Fica a dica: pode comer com casca e tudo que o sabor não é ruim, não.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Bolo de Carne

Sabe aquele dia em que você chega em casa super cansada, mas o corpo tá pedindo uma comidinha. Não serve pizza, não serve habib's. Você tem que ir pro fogão...

Você olha pra geladeira e vê que a coisa tá feia. Ela implora por um supermercado e você não vê a menor possibilidade de ir até lá. Pois bem, foi num dia desses que saiu esse bolo de carne. E a preguiça era tamanha, que nem pra tirar foto eu tava boa.


O bolo de carne é muuuuiito simples: em uma tigela misture 1/2 kg de carne moída crua, 1 cebola ralada, 2 dentes de alho também ralados, 3 colheres (sopa) de aveia em flocos, 2 colheres (sopa) de azeitona verde picada e tempere com sal e pimenta a gosto.

Coloque tudo em um pirex - no meu caso, uma fôrma de bolo inglês - e leve ao forno alto por mais ou menos 30 minutos. Se quiser, pode rechear. Coloque metade da carne, o recheio e a outra metade. Fica bom com recheio de cenoura, espinafre, ovos etc.

Eu não tava podendo, fiz simples mesmo. Servi com arroz enfeitado com cenoura, ervilha e umas passas. Deu pro gasto, ficou um jantarzinho bem gostoso.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Cozinha com prazer


Muita gente fica assustada quando digo que Marido e eu trabalhamos o dia todo, fazemos faculdade, inglês, pilates, cuidamos da casa e ainda vamos pra cozinha por prazer.

Jantamos em casa quase todos os dias, mesmo chegando por volta das 22hs. Umas amigas minhas dizem que se entrassem em casa a essa hora, iriam jantar lá pra meia-noite. Nós, por incrível que possa parecer, raramente jantamos depois das 23hs.

Isso porque somos muito organizados na cozinha. Nos programamos para que tudo seja feito de forma rápida, já que tempo é algo que nos falta. Como muita gente nos pergunta como isso é possível, digo então como fazemos para que a cozinha deixe de ser uma tortura e seja um lugar de prazer.

1. O supermercado: tanto Marido quanto eu não gostamos muito de ir ao supermercado. Vamos, geralmente, de dois em dois meses. Compramos carnes e mantimentos para todo esse período. As frutas, os legumes e as verduras compramos na feira dominical, porque preferimos. E mais ou menos de 15 em 15 dias, damos uma passada rápida no mercadinho aqui do bairro para comprar iogurte, queijo e pão (porque ir à padaria todo dia não rola). Isso faz com que economizemos dinheiro, pois indo menos resistimos às guloseimas que só nos fazem gastar mais, e principalmente tempo. Conheço gente que vai ao supermercado todo dia depois que sai do trabalho para comprar alguma coisa para o jantar. Fala sério! Você chega em casa mais tarde por conta disso, já estressada porque teve que enfrentar fila, carregar compras e tal. Quando a pessoa vai para a cozinha, aquilo já deixou de ser um prazer há muito.

2. As compras: apesar de as nossas compras terem datas distantes entre si, quando vamos a elas já temos na cabeça (ou na lista) mais ou menos programado qual vai ser o cardápio dos próximos dias. Alguns alimentos estão na lista independente disso, como arroz, farinha, enlatados etc. Outros, entretanto, que são menos usados no dia-a-dia, só compramos quando temos a intenção de fazer algum prato com eles. E, se eu já estou namorando alguma receita, coloco os ingredientes menos perecíveis na lista. Desta forma, quando eu quiser fazê-la, não tenho que ir ao mercado de novo para comprar o que faltou.

3. O pós supermercado: talvez a nossa ojeriza a fazer compras venha do que chamamos de pós supermercado. No dia em que vamos ao supermercado, já sabemos que não podemos programar mais nada. Isso porque, quando voltamos de lá, usamos o resto do dia para organizar as coisas, cortar as carnes, cozinhar o que guardamos pronto etc. É um dia de cão, verdade, mas é um só e facilita muito nos outros dias, quando vamos cozinhar. Como tudo já está mais ou menos encaminhado, o tempo entre iniciar o jantar e comê-lo diminui sensivelmente.

4. As carnes: em geral, quando o tema é cozinha, o mais complicado é pensar na proteína que irá ser servida. O bife, o frango, o peixe requerem mais tempo até descongelar e serem preparados. No nosso pós supermercado já resolvemos isso. A carne (bovina, porque suína não entra aqui em casa) já é comprada em bifes ou moída. Os bifes são temperados e guardados em sacos plásticos de dois em dois, pois é a quantidade que iremos comer. Desse modo, descongelamos só a quantidade a ser consumida e no microondas esse descongelamento demora, no máximo, 5 minutos. A carne moída é preparada nesse dia e congelada já pronta. Na hora de usar, é descongelar no microondas e levar à panela com o molho ou o que quer que seja. Se pretendo fazer algum prato que precisa dela crua, como um rocambole por exemplo, separo a quantidade e congelo. O frango é cortado em bifes e em cubinhos e guardado na quantidade certa de uma refeição. O peixe é temperado com sal, limão e pimenta e também dividido em porções para dois. Temos sempre lasanha, almôndegas e hamburgueres, porque não é todo dia que você está com disposição para fazer aquela comida.

5. Os acompanhamentos: ultimamente, Marido e eu - acho que como a maioria das pessoas - estamos buscando ser um pouco mais saudáveis na alimentação. Por conta disso, a preferência tem sido pelo arroz integral. Compramos o Uncle Bens, que vem no saquinho, porque ele é bem prático. Apesar de demorar mais pra cozinhar (uns 20 minutos), você coloca ele na água fervendo e esquece. Pode ir tomar banho, fazer outras coisas sem medo, pois ele não vai queimar e sempre dá certo. O feijão é feito todo de uma vez e congelado em potes do tamanho de uma ou duas refeições. Compramos seleta de legumes congelada, pois é boa para enfeitar um arroz ou acompanhar um prato num dia que não haja legumes frescos. O alho é aquele do potinho. Mesmo sabendo que não é a melhor opção, é a mais prática e dura mais. Sempre faço gelatina e deixo na geladeira. É muito rápido de fazer e tem pouquíssimas calorias, ou seja, a salvação na hora em que dá vontade de comer um docinho.

Apesar de todas essa dicas, sabemos que ainda temos coisas a aprender. Tem gente que guarda legumes, macarrão e pratos prontos no freezer. Nós ainda não sabemos fazer isso com segurança. Então, se você tiver dicas a nos dar, elas serão muuuiiito bem-vindas, pois o que adianta a vida nunca atrapalha.

sábado, 14 de maio de 2011

Torta de Ganache e Bombom

Torta feita para o almoço de Páscoa aqui em casa. Deu certo? Não! Por que? Porque eu não sei fazer massa de torta. Pronto, falei!

Todas as massas que eu faço dão errado. Exceto aquelas feitas de biscoito... Por que, meu deus? Eu sigo a receita: não dá certo! Eu mexo na receita: não dá certo! Acho que não tenho "mão" pra coisa.


A dessa torta ficou dura como o quê. Todo mundo teve que brigar com ela, pra cortar tinha que chamar um homem. O sabor, contudo, ficou bom. Talvez essa massa sirva para abrir e cortar como biscoitos. Vou fazer isso dia desses e, se der certo, posto a receita aqui.

O recheio, por sua vez, ficou divino. Fiz uma ganache de chocolate preto meio amargo e outra de chocolate branco. Ambas foram feitas com um tablete de 180g de chocolate e 1 caixinha de creme de leite. Por cima, bombons picados para decorar.

Se você fizer a torta, me conta. E se você, cara leitora, tiver uma receita boa de massa, por favor, me passa?

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Novidade no blog!


Não sei se vocês já notaram, mas o Pitaco agora é .com. Ficou mais fácil de acessar: é só digitar pitaconacozinha.com no seu browser que você será encaminhado pra cá.

E pra quem, como eu, trabalha num lugar que bloqueia sites, agora (provavelmente) você vai conseguir ver. Poderá ver as receitas antes do almoço, para abrir o apetite, ou no fim do dia, para escolher o menu do jantar.

Então, vamos aproveitar a novidade!

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Arroz Indiano

Gente, esse arroz é uma delícia. Simples, chique, exótico e saboroso. Dá até pra servir num jantarzinho mais elegante. Eu fiz como prato único, porque achei que não merecia complementos.


Usei:

1 colher (sopa) de óleo
½ cebola picada
2 dentes de alho amassados
1 colher (chá) de curry
1 peito de frango (grande) picado
2 xícaras (chá) de água fervente
1 tablete de caldo de galinha
½ vidro de leite de coco
1 xícara (chá) de arroz
1 colher (chá) de sal

Fiz:

Refoguei a cebola e o alho no óleo e juntei o curry. Acrescentei o frango e fritei bem, deixando ficar douradinho. Despejei a água e o caldo de calinha, mexi e pus o leite de coco. Deixei ferver um pouco enquanto lavava o arroz, que foi adicionado em seguida à panela. Coloquei o sal e mexi um pouco para que tudo misturasse bem. Cozinhei em fogo baixo até que o arroz cozinhasse.

É preciso provar, porque não dá pra ver o arroz direito. O ideal é que o arroz fique cozido e ainda sobre um pouco do caldo, que a esta altura estará bem cremoso. Soltei o arroz da panela, misturando tudo e servi.

Marido amou, eu amei. Seríamos capazes de comer o dobro, tão gostoso estava. Mas vai rolar repeteco em breve, com certeza!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Peixe à Belle Meuniere

Marido fez este prato para nós no dia do nosso 6º aniversário de casamento. Ou bodas de açúcar, como diz a lenda. Não gostei disso não, açúcar é muito solúvel...

O que importa é que a comida estava deliciosa. O peixe, um filé de namorado, foi servido com um purê de batata-doce que estava dos deuses.


Ele fez assim: temperou os filés com sal, pimenta do reino e limão. Empanou levemente os filés em farinha de trigo e fritou em uma frigideira com um pouquinho de manteiga. Reservou os filés já no prato, porque aproveitou a mesma frigideira para fazer o molho. Esta foi limpa e, em seguida, ele colocou mais manteiga, 200g de champignon e 1/2 vidro de alcaparra e deixou apurar um pouquinho. Serviu o molho por cima do peixe, cobriu com salsa e serviu com o divino purê.

Marido arrasa na cozinha, é um dom que ele tem. Eu acho ainda melhor quando a refeição é feita especialmente pra mim...

domingo, 8 de maio de 2011

Toy Story

Este é o último sanduíche da série e o que foi eleito como o melhor. Confesso que eu comia um atrás do outro. Chamou-se Toy Story porque mini cachorros quentes são altamente infantis.

Essas mini salsichas são vendidas no supermercado com a carinha da Turma da Mônica. Eu gosto porque são de frango, então posso comer! A massa, fizemos na máquina de pão, com a mesma receita daqui.



Abrimos a massa – ou melhor, Marido abriu – com bastante farinha e cortamos em triângulos. Enrolamos a salsicha, já previamente aferventadas, como se fosse um croissant. Dispusemos em uma forma de pizza, que nem precisaram ser untadas, e passamos gema de ovo por cima. Cada leva ficou 30 minutos no forno médio.

Rendeu bem, mais de 100 cachorrinhos. O que não quer dizer que tenha sobrado...


sexta-feira, 6 de maio de 2011

O Discurso do Rei

Mais um da série Sanduíches de Cinema. King’s Speach, ou O Discurso do Rei, precisava ser um sanduíche com o toque de refinamento que a realeza pede.

O pão de forma era integral sem casca, da Wickbold. O recheio foi feito com legumes assados, mais precisamente berinjela e abobrinha fatiados bem fininhos e assados com azeite. Na assadeira coloquei também uns dentes de alho sem casca e um pouco de orégano.


Enquanto as fatias estavam no forno, fiz no processador uma pasta com ¼ de ricota, um pouco de creme de leite e muitas folhas de manjericão. Algo como um pesto cremoso.
.
Montei os sanduíches com uma camada da pasta de manjericão, uma fatia de abobrinha, uma de berinjela, um dedinho de alho – que depois de assados foram picados – e duas fatias, também finas, de tomate.
.
Cortei o pão ao meio, para que o sanduíche não ficasse grande, o que seria deselegante. Deu um toque chique e aristocrático à mesa (mas foi devorado como todos os outros!).

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Bravura Indomita

Bravura Indômita é um filme dos irmãos Cohen bem pesado. Pedia um sanduíche com o mesmo teor.


Para fazer o recheio, coloquei ½ cebola picada em uma panela e refoguei em um pouquinho de óleo. Juntei frango desfiado (não sei precisar a quantidade de frango, porque eu já o congelo desfiado), temperei com sal e pimenta e deixei dar uma fritadinha. Adicionei ½ caixa de creme de leite e 1 colher (chá) de curry.

Ficou cremoso, como se fosse uma pasta mesmo. E rechearam mini pães australianos, comprados na padaria aqui do bairro.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Cisne Negro

Esse sanduíche também esteve na mesa do Oscar, o que você já deve ter percebido pelo título do post. É um wrap, cortado em grossas rodelas, com recheio de blanquet de peru e patê de azeitona preta.

Fiz no pão sírio. Para usá-los para wrap, você precisa, com toda a calma, separar as duas parte do pão. Tem que ter cuidado, porque às vezes rasga e aí não dá mais pra usar.


A pasta foi feita com ¼ de uma ricota, 100g de azeitona preta, sal e um pouquinho de creme de leite batidos no processador. A montagem foi feita assim: a parte do pão sírio, uma camada generosa de pasta de azeitona e fatias de blanquet de peru. Enrola-se como um rocambole, bem apertadinho. Tente não colocar nada perto das bordas, senão o recheio cai. Corte o rolinho em fatias, como um sushi e descarte as pontinhas.

Tudo pronto. É só arrumar no prato e servir. Coloque, de preferência, com o recheio à vista, pois assim dá pra ver todas as cores do sanduíche.